Close

novembro 21, 2018

Um panorama geral das doações no país

De acordo com dados da NGOFacts, existem cerca de 10 milhões de ONGs no mundo. E as pessoas acreditam cada vez mais nesses projetos: o número de indivíduos que doaram dinheiro para essas instituições aumentou de 1,2 bilhão em 2011 para 1,4 bilhão em 2014, e 80% dos cidadãos concordam que as ONGs contribuem para mudanças sociais positivas em todo o mundo. Na índia, por exemplo, há uma ONG para cada 400 pessoas, e, no Canadá, cerca de 10,6 bilhões de dólares são doados anualmente para essas instituições. Lá, a cultura de ONGs é tão difundida, que se estima que 84% dos canadenses doem dinheiro para elas.

Já o Brasil possui mais de 290.700 Fundações Privadas e Associações sem Fins Lucrativos que juntas empregam 2,1 milhões de pessoas (IBGE 2012). Com o aumento do desemprego na indústria, parte pela crise e parte pela tecnologia, com certeza das ONGs se tornarão uma peça importante no emprego brasileiro.

De acordo com pesquisa realizada pelo IDIS, em 2015 as doações individuais brasileiras totalizaram R$ 13,7 bilhões, valor este que corresponde a 0,23% do PIB do país.

Apesar de o Brasil estar se tornando uma fonte mais importante de dinheiro para as ONGs, representantes de ONGs ouvidos pela BBC Brasil acreditam que o perfil do brasileiro como doador está passando por mudanças, o que explicaria o fato de o país ainda doar pouco em comparação com outras nações – 68º no ranking dos 150 países que mais receberam doações individuais.

Esse fato provavelmente se deve por uma falta de informação em especial uma falta de aproximação entre as instituições e a população.

Apesar das ONGs emitirem seus relatórios, estas informações ainda estão um pouco escondidas da população, que também não tem o habito de pesquisar.

Muitas das doações acabam sendo realizadas para projetos e ONGs que são de conhecimento público, como as grandes Fundações e Institutos, além das ONGs que possuem uma atuação próxima ao local de moradia do doador.

Uma forma de melhorar estes índices é criar formas de levar a informação até a população, utilizando-se da tecnologia para disseminar os dados e atrair cada vez mais doadores. Redes sociais como Facebook, LinkedIn, Instagram, Twitter, Pinterest, além de lista de e-mails e APPs.

Ao levar estas informações ao doador a ONG começa a gerar um vínculo com o mesmo, o que provavelmente irá ocasionar em uma recorrência nas doações e também uma participação do doador mais ativa, seja como voluntário ou como disseminador das instituições.

Você ONG, como está se estruturando para aumentar o número de doadores? Qual a sua estratégia? Como você está buscando aumentar o número de mantenedores?

E você doador? Quais as informações que vocês buscam na hora de realizar uma doação? Você acompanha os relatórios da ONG? Você participa de ações de voluntariado?